Conheça os Tipos e as Técnicas Usadas na Cirurgia Bariátrica.


Olá Meninas, tudo bem?

As cirurgias para redução de estômago estão cada vez mais em ascensão. Tudo por causa da obesidade, que aumenta de maneira rápida no Brasil. A proporção de pessoas acima do peso avançou, e  geralmente, as pessoas com indicação para o procedimento operatório devido à obesidade apresentam outros problemas de saúde, como diabetes tipo 2, hipertensão e apneia do sono.

Essa cirurgia chamada de Cirurgia Bariátrica, no Brasil são aprovadas quatro modalidades diferentes além do balão gástrico que é usado como terapia auxiliar.

Em nossa matéria de hoje, vamos Conhecer os Tipos e as Técnicas Usadas na Cirurgia Bariátrica.

Conheça os Tipos

A diferença entre uma cirurgia e outra, é o mecanismo de funcionamento e são três tipos de procedimentos na Cirurgia Bariátrica e Metabólica:

– Restritivos – Diminuem a quantidade de alimentos que o estômago é capaz de comportar.

– Disabsortivos – Reduzem a capacidade de absorção do intestino.

– Técnicas mistas – Com pequeno grau de restrição e desvio curto do intestino com discreta má absorção de alimentos.

Conheça as Técnicas

1 – Bypass gástrico (gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”)

É a técnica bariátrica mais praticada no Brasil,  devido a sua segurança e, principalmente, sua eficácia. O paciente submetido à cirurgia perde de 40% a 45% do peso inicial.

É feito o grampeamento de parte do estômago, que reduz o espaço para o alimento, e um desvio do intestino inicial, que promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. Essa somatória entre menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade é o que leva ao emagrecimento, além de controlar o diabetes e outras doenças, como a hipertensão arterial.

Uma curiosidade: a costura do intestino que foi desviado fica com formato parecido com a letra Y, daí a origem do nome Roux que é o sobrenome do cirurgião que criou a técnica.

bypass-gastrico

2 – Banda Gástrica Ajustável

A banda gástrica ajustável representa 5% dos procedimentos realizados no País. Apesar de não promover mudanças na produção de hormônios como o bypass, essa técnica é bastante segura e eficaz na redução de peso (20% a 30% do peso inicial), o que também ajuda no tratamento do diabetes. Instala-se anel de silicone inflável ajustável ao redor do estômago, que aperta mais ou menos o órgão, tornando possível controlar o esvaziamento do estômago.

banda-gastrica

3 – Gastrectomia vertical

Nesse procedimento, o estômago é transformado em um tubo, com capacidade de 80 a 100 mililitros (ml). Essa intervenção provoca boa perda de peso, comparável à do bypass gástrico e perda de peso maior que a proporcionada pela banda gástrica ajustável.  É um procedimento relativamente novo, praticado desde o início dos anos 2000. Tem boa eficácia sobre o controle da hipertensão e de doenças dos lípides (colesterol e triglicérides).

gastrectomia-vertical

4 – Duodenal Switch

É a associação entre gastrectomia vertical e desvio intestinal. Nessa cirurgia, 85% do estômago são retirados, porém a anatomia básica do órgão e sua fisiologia de esvaziamento são mantidas. O desvio intestinal reduz a absorção dos nutrientes, levando ao emagrecimento. Criada em 1978, a técnica corresponde a 5% dos procedimentos e leva à perda de 40% a 50% do peso inicial.

duodenal-switch

• Terapia auxiliar – Balão intragástrico

Reconhecido como terapia auxiliar para preparo pré-operatório, trata-se de um procedimento não cirúrgico, realizado por endoscopia para o implante de prótese de silicone, visando diminuir a capacidade gástrica e provocar saciedade. O balão é preenchido com 500 ml do líquido azul de metileno, que, em caso de vazamento ou rompimento, será expelido na cor azul pela urina.

O paciente fica com o balão por um período médio de seis meses. É indicado para pacientes com sobrepeso ou no pré operatório de pacientes com super obesidade (IMC acima de 50 kg/m2).

balão gástrico

Lembramos que somente o médico pode avaliar o tipo e a técnica para cada caso e o primeiro passo antes de uma cirurgia é avaliar se o paciente pode se submeter a essas técnicas operatórias. Se o parecer for positivo, ele será avaliado por uma equipe de médicos especialistas, como cardiologistas, psicólogos, endocrinologistas, nutricionistas, entre outros. Também deve ser realizado uma série de exames e o mais importante é depois da cirurgia, o acompanhamento que deve continuar.

Bom meninas, esperamos que tenham gostado, e fiquem ligadas que estaremos postando mais matérias com informações importantes, dicas de beleza e saúde e muitas outras novidades! E não esqueça de deixar seu comentário, ele é muito importante e sempre bem vindo para nós.

Beijos e Até Mais!

Tags:, , ,

Categorias: Estética e Beleza, Saúde

Autor:centercintas

Blog Center Cintas, aqui você encontra informações, notícias, dicas de saúde e cuidados estéticos e uso das Cintas Modeladoras Yoga. Matérias inéditas e detalhadas que você vai curtir e compartilhar com seus amigos.

Assinar

Assine nosso feed RSS e nossos perfis sociais para receber atualizações.

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: